Correios lideram lista de privatizações do governo

Estatal tem resultados financeiros fracos na última década e acumula críticas por ineficiência mesmo com a capilaridade logística no país

Presente do extremo norte ao sul do país, a empresa acumula críticas de ineficiência nas entregas e ingerência política - André Ávila / Agencia RBS
Diante de resultados financeiros irrisórios na última década, os Correios lideram a lista do plano de privatizações do governo federal. Persuadido pelo liberalismo do ministro da Economia, Paulo Guedes, Jair Bolsonaro autorizou os estudos para a venda e demitiu, há duas semanas, Juarez Cunha, que era o presidente da empresa, por considerá-lo um "sindicalista".

O substituto, Floriano Peixoto, disse que nada se falou sobre privatizar, mas que irá trabalhar para fortalecer a empresa. Nos bastidores, a informação é que caberá a ele a reestruturação antes da venda.

À estatal de 103 mil funcionários, restou a incerteza. Presente do extremo norte ao sul do país, a empresa acumula críticas de ineficiência nas entregas e ingerência política. De símbolo de orgulho nacional, tornou-se um produto a ser despachado.

— Os Correios eram reconhecidos pelo papel de integração nacional e garantia da comunicação entre as pessoas, o que acabou substituído por outros mecanismos. Hoje, é uma empresa ultrapassada e maculada pela corrupção e pelos problemas na prestação de serviços — avalia o economista Gesner Oliveira, ex-presidente do Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade).

Após sinalizar a intenção de venda, Bolsonaro alertou que a proposta só será discutida depois da votação da reforma da Previdência no Congresso. Pelas previsões mais otimistas, as mudanças na aposentadoria serão votadas em julho na Câmara, mas ainda precisam seguir para o Senado.

Só que, para garantir um bom negócio, o governo tem pressa. Segundo cálculo preliminar da equipe econômica publicado pela revista Veja, o prazo máximo para privatizar os Correios por um valor de mercado atrativo seria de cinco anos. Esse é o tempo de vida útil da estatal até que as transportadoras privadas a ultrapassassem na entrega de encomendas, o que tornaria a venda pouco atraente.

Monopólio de cartas, mas não de encomendas

Impulsionada pelo comércio eletrônico, a distribuição de pacotes pelos Correios tornou-se mais lucrativa do que a entrega de cartas desde dezembro de 2017. Pela Constituição, a estatal detém o monopólio postal no país. Já no transporte de embalagens, enfrenta a concorrência do setor privado.

Um estudo da Associação Brasileira de Comércio Eletrônico (Abcomm), divulgado no mês passado, confirmou o aumento no uso das transportadoras pelas lojas virtuais nos últimos seis anos, de 35% para 58,7% no total de entregas. Porém, mesmo em queda, a dependência dos Correios pelas empresas ainda é alta — 88,6% utilizam a empresa.

O presidente da entidade, Maurício Salvador, está engajado nas articulações pela venda em Brasília, transitando em audiências no Congresso e participando de reuniões com a equipe de privatizações. Para ele, a possibilidade está "avançando rápido":

— Muda governo, muda diretoria, mudam cargos políticos e segue o uso indevido de dinheiro público. O Estado brasileiro já mostrou a sua incompetência para administrar empresas. Não conheço um caso em que o serviço não tenha melhorado para a população.

Mesmo com o debate em alta, nenhum modelo de venda foi apresentado até o momento. Para o professor da Escola de Economia de São Paulo da Fundação Getulio Vargas (FGV-SP) Joelson Sampaio,a oferta da estatal requer cautela:

— Pode ser positivo para a economia e para a prestação de serviços, mas a forma precisa ser muito discutida. A privatização de uma empresa tão grande demanda muita discussão. Se feita a toque de caixa, não resolve nenhum problema.

Transação depende de aprovação do Congresso

Em crise com o Congresso, Jair Bolsonaro depende dos deputados e senadores para levar a venda dos Correios adiante. Para privatizar, o presidente precisa do aval da Câmara e do Senado — e, para quebrar o monopólio postal, é necessária emenda constitucional, que requer os mesmos dois terços dos votos da reforma da Previdência.
Audiência pública debateu a privatização dos Correios com a presença de deputados contrários ao tema - Pablo Valadares / Câmara dos Deputados
Recentemente, Bolsonaro lembrou que a privatização não depende só da sua vontade, mas também dos ex-colegas de Congresso. O presidente do Senado, Davi Alcolumbre (DEM-AP), deu o recado: a venda "dificilmente" passará pelas Casas.

Também no Congresso, a Frente Parlamentar Mista em Defesa dos Correios articula-se para barrar as intenções de Bolsonaro. Representado por mais de 200 deputados e senadores, o grupo conta inclusive com membros do PSL — mais um indício de que será duro levar a privatização adiante.

— Trabalhamos para fortalecer os Correios. O general (Juarez Cunha) que foi demitido da presidência da empresa não é um sindicalista de esquerda, como disse o presidente. Ele é um nacionalista que defende que os Correios continuem sendo uma empresa nacional — diz o coordenador da frente, Leonardo Monteiro (PT-MG).

O grupo aposta na aprovação de duas propostas para injetar novas fontes de recursos e dar sobrevida à estatal. Uma delas cria um fundo de universalização para a estatal a partir do recolhimento de 1% da receita bruta dos serviços postais, descontados os impostos. 

Outra impõe que todos os órgãos do setor público deem preferência à empresa na contratação de serviços postais em vez de escolher um concorrente do setor privado.

Ex-presidentes defendem reforço da estrutura pública

Os Correios acumularam prejuízos bilionários em 2015 e 2016 — R$ 3,61 bilhões na soma dos dois anos. Depois, no biênio seguinte, houve lucros modestos. O resultado do primeiro trimestre deste ano, porém, retornou às cifras negativas — R$ 27,616 milhões —, mas pode se recuperar ao longo do ano, já que a demanda por serviços postais costuma aumentar no segundo semestre.

Presidente dos Correios no governo Michel Temer (MDB), o ex-deputado Guilherme Campos (PSD-SP) foi o responsável pelos balanços positivos. O redesenho incluiu plano de demissão incentivada, integração de unidades de negócios e mudança no plano de saúde dos funcionários. Para antigo dirigente, a privatização é uma proposta "simplista":
Guilherme Campos, ex-presidente dos Correios - Marcelo Camargo / Agência Brasil
— Todo mundo fala em privatizar os Correios, mas ninguém deu um modelo de como deve ser. É uma empresa muito grande, muito complexa, de presença nacional e dona de uma série de ativos que precisam ser pesados. Sem falar do passivo trabalhista.

Antecessor de Campos, o ex-deputado Giovanni Queiroz (PDT-PA), presidente da estatal no governo Dilma Rousseff (PT), recorre ao papel social da empresa para desviar a venda mirada pelo governo Jair Bolsonaro:
Giovanni Queiroz, ex-presidente dos Correios - Foto: Reprodução
— É o único órgão federal que chega na residência de todo o cidadão brasileiro. Todos mesmo, nem que seja para levar a conta de luz. Ele chega. Um bom gerenciamento faz com que o ajuste fiscal venha de encontro à sobrevivência dos Correios. Tenho certeza de que nenhuma outra empresa privada irá suprir essa demanda. Afinal, que empresa privada irá no interior de São Félix do Xingu levar uma encomenda?

Entre os atrativos, está a presença em todos os municípios do país

Em razão da queda na atividade de envio de cartas, a capilaridade e a logística de entrega de encomendas são os principais atrativos para o mercado, segundo o economista Gesner Oliveira. Os Correios estão presentes nos 5.570 municípios do território nacional. 
Estatal está presente em todo o Brasil - Omar Freitas / Agencia RBS
— O segmento de entregas é interessante, a capilaridade e a existência de agências e convênios permite uma distribuição interessante que pode ser útil para transportadoras e bancos — analisa Oliveira.

Vencedor de um concurso sobre o tema do Instituto Mises — uma das principais entidades do pensamento liberal no país —, o auditor fiscal Daniel Gasparotto escreveu o artigo Como desestatizar e privatizar os Correios: um modelo completo. Para ele, a venda passaria por um processo gradual, iniciando pela transformação da empresa em sociedade anônima.

— Ao privatizar, você vê pessoas querendo trabalhar de forma diferente e com mais eficiência para atender à demanda da sociedade. E os Correios têm deixado bastante a desejar — diz o auditor.

No último dia 22, a coluna Esplanada, do jornal O Dia, publicou informação de que a chinesa Alibaba e a norte-americana Amazon estariam interessadas na compra da estatal. Para as gigantes do setor de vendas online, o interessante seria a logística de entrega nacional. Ninguém comentou os rumores. 
Fonte: Correios
Como é pelo mundo

Alemanha
Os correios alemães foram privatizados em 1995, depois de uma mudança no modelo de negócios baseado na prestação de outros serviços, como lojas de conveniência e atividades financeiras. Em 2002, o Deutsche Post comprou a empresa DHL. Hoje, está presente em cerca de 200 países, incluindo o Brasil. O último monopólio que detinha caiu em 2007.

Portugal
A Correios, Telégrafos e Telefones (CTT) foi privatizada em 2013. Todas as suas ações foram vendidas em 2014.

Inglaterra
O Royal Mail teve o processo de privatização, dividido em três etapas, iniciado em 2013. Naquele ano, a primeira oferta pública levou à venda de 60% das ações. Em 2015, as demais foram vendidas.

Japão
Os correios japoneses foram privatizados em 2007, depois de um plano iniciado em 2003 que levou à divisão da empresa em cinco. Mesmo privada, a maioria das ações ainda pertencem ao governo do país.

Estados Unidos
O United States Postal Service (USPS) pertence ao governo e responde por 47% de todo o volume postal do mundo. Em 1970, foi reformulado para se tornar menos dependente politicamente e autofinanciado, sem ser privatizado. Há dois anos, sua receita operacional foi de US$ 71,4 bilhões, mas com prejuízo líquido de US$ 2,7 bilhões, estimulando o debate sobre a privatização. 

Fonte: auditor fiscal Daniel Gasparotto

Histórico do serviço postal
Antigo prédio dos Correios e Telégrafos, em Porto Alegre, virou Memorial do Rio Grande do Sul (Margs) no ano 2000 - Cléo Velleda / Banco de Dados
  • Foi criado por Getúlio Vargas em 1931 e promovido a empresa pelo governo militar em 1969.
  • Fernando Henrique Cardoso (PSDB) tentou a venda dos Correios em meio ao processo de privatizações das estatais, mas uma mudança na Lei Postal - que determina, desde 1978, que a União é responsável pelo recebimento, transporte e entrega de cartas - foi derrotada no Congresso.
  • Luiz Inácio Lula da Silva (PT) esteve em meio a uma crise nos Correios após denúncias de corrupção na empresa, que levaram à investigação do escândalo do mensalão. Em 2010, houve mudanças, como a internacionalização da estatal e a reorganização baseada no modelo de sociedades anônimas.
  • Michel Temer (MDB) avaliou a venda dos Correios por causa dos balanços negativos, mas desistiu.
  • Jair Bolsonaro (PSL), influenciado pela corrente liberal de seu ministro da Economia, Paulo Guedes, disse que deu "sinal verde" para a venda da estatal. Porém, ainda não apresentou um modelo para privatizá-la. 
Por Débora Ely, RBS.

COMENTÁRIOS

Nome

AACB,4,AADC,23,ABAICT,2,Abaixo-assinado,7,Abertura de Capital,7,Abono Pecuniário,3,Abrapp,4,AC Central,1,AC Parelheiros,1,AC São José,1,Ação FGTS,1,Ação INSS,1,Ação Social,1,Acessibilidade,1,Acidente,7,Ações Trabalhistas,1,Acordo Coletivo,3,ACT 2016/2017,15,ACT 2018/2019,112,ACT 2019/2020,181,ADCAP,103,Afastamentos,2,Agência,64,Agências Marketing,2,Agências Modulares,7,Agressão,2,AGU,3,Água,1,ALAC,1,ALBA,2,ALEPA,1,ALEPI,2,ALERJ,1,ALESP,2,Alibaba,1,ALMG,7,ALMT,1,Aluguel,1,Alunos,1,Amazon,3,Ambulatório,3,ANAC,2,ANATECT,7,ANATEL,5,Animais,10,Anistia,3,ANS,11,ANVISA,1,Aplicativo,2,Aposentados,24,APP,1,Apreensão,12,Ar Condicionado,4,ARACT-SP,3,Área de Risco,4,Arrombamento,5,Artigo Correios,3,Assaltos,64,Assédio,2,Assédio Moral,3,Assembleia,8,Assessores Especiais,2,Assistência Médica,1,ATAs,1,Atendente Comercial,3,Atendimento CorreiosSaúde II,1,Atendimento Digital,2,Atestado,1,Atleta,2,Atrasos,8,Atropelamento,3,Atualização Cadastral,1,Audiência Pública,80,Auditoria,3,Autoatendimento,4,Auxiliar de Enfermagem,3,Auxílio Doença,2,Auxílio-creche,1,Azul,16,Bala Perdida,1,Balanço,2,Balcão do Cidadão,15,Banco Postal,33,Banco24Horas,3,Baterias,2,BB,5,BDO Brasil,1,Benchmarking,1,Benefícios,13,Bicicleta,1,Black Friday,8,Bloqueio,1,BNB,2,BNY Mellon,17,Boca no Trombone,7,Boletim das Estatais,2,Boleto,16,Cachorro,4,CADE,17,Cães,1,Caixa Inteligente,2,Caixa Postal,1,Caixa Postal Comunitária,3,Cajamar,1,Calote,2,Câmara de Conciliação,1,Caminhada,1,Caminhão,1,Caminhões,1,Campanha Salarial,153,Canal Descomplica,1,Cancelamento,1,Capitalizar,1,Carlos Fortner,5,Carnaval,1,Cartas,3,Carteira de Trabalho,5,Carteiro,52,Carteiro Motorizado,2,Carteiro Poeta,1,Casamento,1,CAT,2,CBDA,7,CBHb,3,CBS,1,CBT,1,CCT,3,CDD Antonina,1,CDD Barra,1,CDD Barro Duro,2,CDD Botafogo,1,CDD Capão Redondo,5,CDD Capela do Socorro,3,CDD Carlos Olímpio,4,CDD Colombo,1,CDD Copacabana,1,CDD Curicica,2,CDD Del Castilho,1,CDD Embu,3,CDD Freguesia,1,CDD Guaianazes,1,CDD Itapecerica,4,CDD Jardim Odete,1,CDD Madureira,1,CDD Oeste,1,CDD Parelheiros,1,CDD Parque Cocaia,4,CDD Parque São Vicente,1,CDD Polo,1,CDD Ponta Porã,1,CDD Registro,2,CDD São Braz,1,CDD São Mateus,1,CDD Taboão da Serra,2,CDD Tanque,1,CDD Taquara,1,CDD União da Vitória,1,CDD Vila das Belezas,1,CDH,17,CEE Jacarepaguá,1,CEE Laranjeiras,1,CEE Santo Amaro,1,CEGEP,2,Central Braille,1,CEP,1,Certificação,1,CGPAR,8,CGR,1,CGU,3,Chip Amarelinho,6,Cinesioterapia Laboral,1,Clipping,2028,Cobertura,1,Cobrança Mensalidade,1,Comércio Virtual,1,Comissão Acidente de Trânsito,1,Comitê,1,Compra Fora,4,Comprovante de Rendimentos,2,Comunicado,50,Concurso,15,Condições de Trabalho,13,Congresso,5,CONREP,5,Conselho de Administração,4,Conselho Deliberativo,6,Consin,2,Constituição,1,Contaminação,1,Contas Públicas,1,CONTECT,1,Contra a Privatização,143,Contrabando,2,Contrato de Trabalho,1,Contribuição Extraordinária,3,Contribuição Sindical,1,Convocação,1,Copa do Mundo 2018,1,Correios,100,Correios Aqui,6,Correios Celular,15,Correios Notícias,8,Correios Packet,2,Correios Saúde,1,Correios Saúde II,16,CorreiosPar,5,Correspondências,1,Corrupção,1,Corte de Energia,1,Cortes de Despesas,4,Cosit,2,COVISA,1,CPF,1,Crediamigo,1,Crédito Salário,1,Crescimento,1,Cronograma de Empréstimos,13,CSP Conlutas,1,CTASP,2,CTB,1,CTC Santo Amaro,2,CTCE,1,CTCE Belém,2,CTCE Contagem,1,CTCE Santos,2,CTCE São José,1,CTCE Vila Maria,1,CTO,1,Custos,1,CUT,1,CVM,11,Dano Moral,6,Data Comemorativa,14,DDA,24,De Brasil a gente entende,2,Déficit,1,Demissão,10,Demissão Acordada,1,Demissão Motivada,16,Dengue,1,Depoimento,1,Deputado,1,Desconto Greve,6,Descredenciamento,2,Desestatização,5,Despacho Postal,22,Despedida,1,Despesas com Pessoal,1,Destaque,1060,Desvio,4,Desvio de Função,1,DHL,1,Dia do Carteiro,7,Diárias,1,Diário Oficial,1,DIEESE,2,Diferencial de Mercado,3,Digital,6,Direitos dos Empregados,22,Diretorias,5,DIRF,1,Distritos,2,DNI,2,Documentos Perdidos,3,Domingo,1,e-Carta,2,e-commerce,4,Edison Lobão,1,Editorial,1,Eleições,7,Empréstimos,3,Enceja,1,Encomendas Internacionais,4,Encontro de Mulheres,1,ENEM,8,Enfermeiro do Trabalho,1,Entrega Correspondências,3,Entrega Interativa,3,Entrega Matutina,8,Ernesto Araújo,1,Esclarecimento,8,Escolta,2,ESMEC,1,Estadão Conteúdo,1,Estado de Greve,24,Estatais,65,Estatais Estratégicas,1,Estatuto Social,7,Estrutura Organizacional,1,Eventos,1,Exames Periódicos,2,Exclusão Pai/M/ãe,32,Exclusiva,84,Extinção,1,Extrato,2,Extravio,2,FAACO,10,Fabio Faria,1,Fake News,1,Falecimento,1,Falta Estrutura,1,Fechamento,50,FEDERAÇÕES,557,FEDEX,1,FENTECT,382,Férias,5,Fernando de Noronha,1,Ficha Financeira,2,Filho Especial,1,Filiação Partidária,1,FINDECT,274,Fiscalização,2,Floriano Peixoto,27,Fogo Veículo,1,Folga,1,Folha de Benefícios,1,Folha de Pagamento,1,Força-Tarefa,1,Franqueadas,1,Fraude,11,Frente Parlamentar,29,Frete,1,Frota,1,Funções,1,Fundos de Pensão,71,Furto,1,FUSP,1,G1,1,Geap,2,GEDIS,1,GERAE,18,Geral,727,Gestão de Riscos,1,Gilberto Kassab,5,GOL,1,Golden Share,1,Google,1,Gratificação de Função,3,Greenfield,33,Greve,125,Histórias,11,Horas Extra,3,Importa Fácil,1,Incêndio,7,Inclusão Dependentes,1,Incorporação de Função,5,Indenização,2,Indicação,1,Indicação Política,3,Informa Postalis,5,Informe Jurídico,296,Insegurança,6,INSS,4,Insumos,1,Interdição,8,Internações,2,INTERSINDICAL,1,Intervenção,13,Investimento,1,IPO,2,IRRF,5,Jair Bolsonaro,40,Joint Venture,13,Jornada Trabalho Reduzida,3,Jovem Aprendiz,3,Justa Causa,3,Kassab,6,Lançamento,1,LATAM,5,Lei das Estatais,3,Leilão,3,Leitura,1,Licença-Paternidade,2,Licenças,2,Licitação,6,Limpeza,1,Livre Escolha,2,Lockers,1,LOEC,1,Logi Supri,2,Logística,3,Logística Pluvial,1,logística Reversa,1,Lojas Virtuais,1,LTR,1,Lucro,5,Luta Unificada,34,Malware,1,Manifestação,1,Manpoc,1,Manuais,2,Maquinas de Triagem,1,Marcos César,26,Marcos Pontes,24,Mato Grosso,1,MCTIC,3,Mediação,6,Médico do Trabalho,4,Meio Ambiente,1,Mensagem Final de Ano,1,Mensalidade,4,Mercado Livre,2,Mesa de Negociação,17,Metas,1,Milton Lyra,2,Minas Gerais,2,Ministério da Economia,5,Ministério da Fazenda,1,Ministério do Planejamento,10,Ministério do Trabalho,1,Ministro,1,Monopólio,4,Morto,3,Motociclistas,6,Mourão,3,MP 873/2019,2,MPF,43,MPT,9,MTE,2,multiatendimento financeiro,1,Negativa de Autorização,1,NIPs,1,Novo Diretor,3,OAI,1,Obesidade,1,OBMEP,1,OJ247,17,Operação Pausare,3,Operação Recomeço,3,Operação Rizoma,7,Operador de Empilhadeira,1,Operador Logístico,1,Operadora São Francisco,2,Opinião Ecetista,2,Orlando Silva,1,OTT,8,Outubro Rosa,1,Ouvidoria,3,Pagamento,1,Pagamento Abono,3,Palocci,3,Panorama das Estatais,1,Papai Noel dos Correios 2018,13,Papai Noel dos Correios 2019,5,Paralisação,9,Parceria,8,Parecer,1,Passe Livre,1,Paternidade,1,Patrocínios,19,Paulo Guedes,31,Paulo Paim,4,PBM,2,PCCS1995,6,PCCS2008,1,PDI,3,PDV,34,PEC,1,Pensionistas,2,Percorrida,3,Periculosidade,1,Perseguição,6,Pesquisa,5,PGR,3,Plano BD,10,Plano de Custeio,1,Plano de Saúde,24,Plano Família,18,Plantão Negociação 2018/2019,19,Plantão Negociação 2019/2020,12,Plenária,2,PLP 268/2016,1,PLR,1,PND,1,Podcast,1,Polícia Federal,30,Políticas de Investimento,1,Portabilidade,2,Portaria,6,Posse,4,Postal Saúde,239,Postalis,493,Postalis Digital,5,PostalPrev,12,PPI,34,Praect,2,Premiação,8,Presidente,51,Prestador,2,Prestador Suspenso,2,Previc,23,Primeira Escolha,1,Primeira Hora,177,Privatização,152,Processo,22,Processo Seletivo,2,Procon,2,Professor Igor Venceslau,4,Professora,1,Projeto de Lei,15,Promoções Horizontais,3,Protesto,3,Quadro de Funcionários,6,Qualidade,1,Quarentena,1,Quitação Eleitoral,1,Racionalização,2,RAI,1,Reabilitação,3,Readequação,23,Reajuste,3,Reajuste de Tarifas,5,reca,1,Recadastramento,11,Receita Federal,19,Reclamações,6,Reclame Aqui,1,Redação,3,Rede Corporativa,2,Rede GIRC,1,Redução da Jornada,1,Reembolso,2,Reenquadramento,3,Reestruturação,7,Refém,5,Reféns,1,Refis Postal,2,Reforma da Previdência,4,Reforma Trabalhista,7,Registrados,1,Reintegração,2,Renan Calheiros,1,Renegociação,2,Renovação Frota,2,Rentabilidade,3,REP,3,Reprecificação,1,Restruturação,8,Resultados Operacionais,2,Reunião Presidente,1,RFID,1,Rodrigo Maia,1,Rombo,1,Roubo,16,RTSA,3,Rua Legal,1,Sala de Imprensa,425,Salários,2,Salim Mattar,12,Saúde Bucal,2,Saúde da Mulher,8,Saúde em Dia,4,SD,2,Seguradora,1,Segurança do Trabalho,1,Seguro de Vida,3,Selos,20,Semana do Brasil,1,Sequestro,9,Série,7,Série Correios,1,Série Correios Saúde II,11,Serviços Postais,2,SEST,6,Sincort-PA,12,Sincotelba,30,Sindecteb,35,Sindicato,904,Sintcom-PR,62,Sintect-AC,25,Sintect-AL,120,Sintect-AM,5,Sintect-AP,13,Sintect-CAS,13,Sintect-CE,16,Sintect-DF,67,Sintect-ES,49,Sintect-GO,46,Sintect-JFA,5,Sintect-MA,51,Sintect-MG,25,Sintect-MS,42,Sintect-MT,33,Sintect-PB,35,Sintect-PE,32,Sintect-PI,52,Sintect-RJ,172,Sintect-RN,19,Sintect-RO,7,Sintect-RPO,16,Sintect-RR,1,Sintect-RS,63,Sintect-SC,29,Sintect-SE,14,Sintect-SJO,2,Sintect-SMA,5,Sintect-SP,209,Sintect-STS,14,Sintect-TO,16,Sintect-URA,13,Sintect-VP,11,smartphones,4,SMS,1,SNCT,2,Social,2,SOFT,1,SQUASH,1,STF,35,STJ,3,Superintendente,1,Taxa Emergencial,2,Taxa Extra,5,Taxa Homologação Importados,5,TCU,11,Tecban,1,Tecnologia,1,Tele Sena,2,Teletrabalho,1,Terceirização,9,Termo Aditivo,1,Tesouro Nacional,1,Teto Salarial,1,TFD,1,TJCE,1,Todos Pelos Correios,15,Top of Mind,3,Tragédia,1,Transferência,2,Transportadora,1,TRF,9,TRT,54,TSE,3,TST,158,UBER,2,UD Juquitiba,4,União,2,Unidas,1,Uniforme,1,Universitários,2,UPAEP,1,UPS,1,UPU,5,URP,1,USPOST,1,Vale Alimentação,4,Vale Extra,2,Vale Refeição,2,Vale Transporte,4,Venda Imóveis,7,Vice-presidente,9,Vídeo,1207,Violência,1,Vírus,1,Visa,4,Viver os Valores,2,Whatsapp,2,
ltr
item
Correios do Brasil - Funcionários: Correios lideram lista de privatizações do governo
Correios lideram lista de privatizações do governo
Estatal tem resultados financeiros fracos na última década e acumula críticas por ineficiência mesmo com a capilaridade logística no país
https://1.bp.blogspot.com/-v0ev9O3CGNw/XRdej_9cjKI/AAAAAAAAUT8/eO2Zn3DWWO0gqlGMuG8pSTbxxw5cGndxACLcBGAs/s320/Carrinho%2Beletrico.jpg
https://1.bp.blogspot.com/-v0ev9O3CGNw/XRdej_9cjKI/AAAAAAAAUT8/eO2Zn3DWWO0gqlGMuG8pSTbxxw5cGndxACLcBGAs/s72-c/Carrinho%2Beletrico.jpg
Correios do Brasil - Funcionários
http://correiosdobrasilfuncionarios.blogspot.com/2019/06/correios-lideram-lista-de-privatizacoes.html
http://correiosdobrasilfuncionarios.blogspot.com/
http://correiosdobrasilfuncionarios.blogspot.com/
http://correiosdobrasilfuncionarios.blogspot.com/2019/06/correios-lideram-lista-de-privatizacoes.html
true
4537349496477451586
UTF-8
Carregar todas as postagens Não encontrou nenhuma mensagem VER TUDO Leia mais Resposta Cancelar resposta Apagar Por Início PÁGINAS POSTAGENS Ver Tudo RECOMENDADOS PARA VOCÊ NOTÍCIAS SOBRE ARQUIVO BUSCA TODAS POSTAGENS Não foram encontrados resultados com a sua palavra Voltar ao inicio Domingo Segunda Terça Quarta Quinta Sexta Sábado Dom Seg Ter Qua Qui Sex Sab Janeiro Fevereiro Março Abril Maio Junho Julho Agosto Setembro Outubro Novembro Dezembro Jan Fev Mar Abr Maio Jun Jul Ago Set Out Nov Dez Agora mesmo 1 minuto atrás $$1$$ minutes ago 1 houra atrás $$1$$ hours ago Ontem $$1$$ days ago $$1$$ weeks ago Mais de 5 semanas atrás Seguidores Seguir ESTE CONTEÚDO É PREMIUM Compartilhe para desbloquear Copiar todo o código Selecionar todo o código Todos os códigos foram copiados para a área de transferência Não é possível copiar os códigos / textos, por favor pressione [CTRL] + [C] (ou CMD + C com Mac) para copiar