Audiência contesta mudanças da SEST para os planos de saúde de trabalhadores em estatais

O debate com diversas entidades de funcionários de empresas públicas e estatais criticou o posicionamento da secretaria vinculada ao Ministério do Planejamento, que visa, entre outros problemas, a paridade e mensalidades nos planos dos trabalhadores.

A convite da Comissão de Trabalho, de Administração e Serviço Público (CTASP) da Câmara dos Deputados, representantes da FENTECT e de sindicatos dos trabalhadores dos Correios participaram, hoje (30), da audiência pública convocada para tratar das alterações da Secretaria de Coordenação e Governança das Empresas Estatais (SEST), para os planos de saúde. O debate com diversas entidades de funcionários de empresas públicas e estatais criticou o posicionamento da secretaria vinculada ao Ministério do Planejamento, que visa, entre outros problemas, a paridade e mensalidades nos planos dos trabalhadores.

Bem observado pela deputada Érika Kokay, os planos de autogestão não podem ter a mesma característica dos planos privados, que visam apenas o lucro. No entanto, na contramão da luta dos trabalhadores, a SEST determina a paridade entre empresa e os empregados e mensalidades nos planos de saúde. No caso dos Correios, essa decisão é inviável, tendo em vista que a categoria é uma das que recebem os menores salários entre empresas públicas e estatais. Um trabalhador que ganha pouco mais de mil reais não terá condições de arcar com as despesas pela própria saúde e dos dependentes.

Outro ponto é a crítica da secretaria à gestão por RH. Segundo a SEST, a saúde não compete às empresas, que devem focar na atividade fim. Contraditório, já que o governo federal não se importou com a atividade fim ao legalizar a terceirização no Brasil. Essa também é uma demanda dos trabalhadores dos Correios, que tinham nesse tipo de gestão melhores condições e mais acesso a serviços de saúde.

Conselheiro deliberativo da Associação Nacional dos Funcionários do Banco do Brasil (ANABB), Fernando Amaral ressaltou que é preocupante o fato da secretaria se ater apenas à matemática. Ele ressaltou que a vantagem das empresas de autogestão é serem instituições sem fins lucrativos e deve haver transparência com as informações. Inclusive, citou que a Minuta Resolução CGPAR Governança estabelece que as empresas públicas e estatais devem apresentar aos respectivos conselhos de administração o relatório anual sobre o custeio dos benefícios de assistência à saúde.

Outro fator preponderante, para Anderson Antônio Mendes, diretor da União Nacional das Instituições de Autogestão em Saúde (UNIDAS), a incorporação tecnológica também aumenta os custos do plano de saúde. De acordo com o diretor, o sistema de saúde brasileiro copia o americano, porém, sem os mesmos recursos. “É um modelo extremamente caro para um país em desenvolvimento”, disse.

Caso Correios
Representando a FENTECT, o secretário Emerson Marinho destacou a situação dos trabalhadores dos Correios, que têm travado embate com a ECT. Citou também o processo de mediação, encerrado pela empresa recentemente para entrar com dissídio. Contra o que afirmou o coordenador da SEST, Emerson ressaltou que, se a empresa de Correios fosse mesmo deficitária, não estaria aumentando a capacidade de arrecadação. “O salário inicial dos trabalhadores na estatal é em torno de R$ 1600. A proposta do TST é de, no mínimo, coparticipação e mensalidade que podem consumir até 50% do salário dos servidores dos Correios. Foi retirado o modelo RH do nosso plano para a Postal Saúde, sem uma administração clara, pois, até hoje, não tivemos acesso aos números do que é gasto em saúde”, contou.

O secretário ainda alertou que, caso seja necessário, uma nova greve será realizada pelos trabalhadores, que não vão aceitar nenhuma retirada de direitos do governo golpista. “Fora Michel Temer e todos os golpistas que se apoderaram do país”, protestou.

Encaminhamentos
Como encaminhamentos dessa audiência, foi defendida a unidade entre os que representam os participantes e beneficiários. Com isso, serão colhidas assinaturas, ainda este ano, para a construção da frente parlamentar em defesa dos planos de autogestão. Provavelmente, com lançamento em 2018. Bem como uma subcomissão sobre o tema, que seja ligada a alguma comissão da Câmara.

Outras propostas sugeridas foram uma nova audiência pública para discutir uma legislação diferenciada para a autogestão, inclusive para analisar perfis epidemiológicos e as políticas de prevenção da própria saúde no local de trabalho, ainda em 2017, e um seminário com um grupo de pesquisadores da área de saúde, na própria Câmara Federal, para debater o assunto.

Íntegra da audiência

COMENTÁRIOS

Nome

33 CONREP,3,AADC,7,Abono Pecuniário,3,ACT 2016/2017,15,ADCAP,13,ALMG,1,ANATECT,1,Aplicativo,1,Aposentados,1,Assaltos,2,Assédio Moral,1,ATAs,1,Banco Postal,23,Benefícios,8,Casamento,1,CDD Polo,1,CGU,1,Clipping,1282,Conselho de Administração,1,Contra a Privatização,34,Correios,237,DDA,3,Destaque,761,Digital,6,Direitos dos Empregados,22,Estadão Conteúdo,1,Exclusiva,73,FAACO,2,Falecimento,1,FEDERAÇÕES,375,FENTECT,259,FINDECT,150,Fundos de Pensão,27,G1,1,Geral,334,Greve,18,Indicação,1,Informe Jurídico,193,Licenças,2,Luta Unificada,33,Manuais,2,Marcos César,5,Motociclistas,3,MPF,4,OAI,1,Paternidade,1,Patrocínio,6,Policia Federal,1,Postal Saúde,69,Postalis,295,Previc,1,Primeira Hora,155,Processo,21,Protesto,1,Seguro de Vida,2,Série,7,Sincort-PA,9,Sincotelba,17,Sindecteb,25,Sindicato,669,Sintcom-PR,42,Sintect-AC,13,Sintect-AL,73,Sintect-AM,4,Sintect-AP,10,Sintect-CAS,11,Sintect-CE,12,Sintect-DF,46,Sintect-ES,38,Sintect-GO,18,Sintect-JFA,2,Sintect-MA,32,Sintect-MG,14,Sintect-MS,25,Sintect-MT,23,Sintect-PB,30,Sintect-PE,25,Sintect-PI,41,Sintect-RJ,118,Sintect-RN,14,Sintect-RO,6,Sintect-RPO,14,Sintect-RR,1,Sintect-RS,48,Sintect-SC,27,Sintect-SE,7,Sintect-SJO,2,Sintect-SMA,5,Sintect-SP,112,Sintect-STS,11,Sintect-TO,12,Sintect-URA,9,Sintect-VP,9,TRT,25,TST,11,Vídeo,818,XIIICONTECT,1,
ltr
item
Correios do Brasil - Funcionários: Audiência contesta mudanças da SEST para os planos de saúde de trabalhadores em estatais
Audiência contesta mudanças da SEST para os planos de saúde de trabalhadores em estatais
O debate com diversas entidades de funcionários de empresas públicas e estatais criticou o posicionamento da secretaria vinculada ao Ministério do Planejamento, que visa, entre outros problemas, a paridade e mensalidades nos planos dos trabalhadores.
https://2.bp.blogspot.com/-_E9pseunbd0/WiBrrhg8i-I/AAAAAAAAJ9Y/mQbQANr3d_8MunWU0bFQUTE4tmhOVdZbwCLcBGAs/s320/Audi%25C3%25AAncia%2BPlano%2Bde%2BSa%25C3%25BAde.jpg
https://2.bp.blogspot.com/-_E9pseunbd0/WiBrrhg8i-I/AAAAAAAAJ9Y/mQbQANr3d_8MunWU0bFQUTE4tmhOVdZbwCLcBGAs/s72-c/Audi%25C3%25AAncia%2BPlano%2Bde%2BSa%25C3%25BAde.jpg
Correios do Brasil - Funcionários
http://correiosdobrasilfuncionarios.blogspot.com/2017/11/audiencia-contesta-mudancas-da-sest.html
http://correiosdobrasilfuncionarios.blogspot.com/
http://correiosdobrasilfuncionarios.blogspot.com/
http://correiosdobrasilfuncionarios.blogspot.com/2017/11/audiencia-contesta-mudancas-da-sest.html
true
4537349496477451586
UTF-8
Carregar todas as postagens Não encontrou nenhuma mensagem VER TUDO Leia mais Resposta Cancelar resposta Apagar Por Início PÁGINAS POSTAGENS Ver Tudo RECOMENDADOS PARA VOCÊ ARTIGO ARQUIVO BUSCA TODAS POSTAGENS Não foram encontrados resultados com a sua palavra Voltar ao inicio Domingo Segunda Terça Quarta Quinta Sexta Sábado Dom Seg Ter Qua Qui Sex Sab Janeiro Fevereiro Março Abril Maio Junho Julho Agosto Setembro Outubro Novembro Dezembro Jan Fev Mar Abr Maio Jun Jul Ago Set Out Nov Dez Agora mesmo 1 minuto atrás $$1$$ minutes ago 1 houra atrás $$1$$ hours ago Ontem $$1$$ days ago $$1$$ weeks ago Mais de 5 semanas atrás Seguidores Seguir ESTE CONTEÚDO É PREMIUM Compartilhe para desbloquear Copiar todo o código Selecionar todo o código Todos os códigos foram copiados para a área de transferência Não é possível copiar os códigos / textos, por favor pressione [CTRL] + [C] (ou CMD + C com Mac) para copiar