Privatização dos Correios: qual a lógica econômica?

Muitos de nós já tivemos problemas com os Correios: alguma carta extraviada, uma encomenda que não chegou no dia prometido, atrasos no pagamento de contas por causa de greves… Essas demonstrações de ineficiência dão munição para quem defende a privatização irrestrita de todo e qualquer serviço estatal. Mas, além dessa visão radical e polarizada, qual o sentido econômico de passar os Correios para a iniciativa privada?

Muitos de nós já tivemos problemas com os Correios: alguma carta extraviada, uma encomenda que não chegou no dia prometido, atrasos no pagamento de contas por causa de greves… Essas demonstrações de ineficiência dão munição para quem defende a privatização irrestrita de todo e qualquer serviço estatal. Mas, além dessa visão radical e polarizada, qual o sentido econômico de passar os Correios para a iniciativa privada? É sobre isso que tratamos aqui.

Como nasceram os Correios?
A Empresa de Telégrafos e Correios (ECT) surgiu em seu atual formato em 1969, e é uma das principais empresas públicas do país. Sua história, no entanto, vem do Brasil Colônia, onde foi fundado o Correio-Mor, em 1663. Primeiro serviço do tipo no país, funcionava sob administração privada¹. Os Correios só foram estatizados mesmo em 1797, quando passaram a ser diretamente administrados pela Coroa.

Por que os Correios são uma empresa pública?
Hoje, os Correios acumulam uma dupla condição: são uma empresa pública e um monopólio estatal. Mas por que o estado controla os Correios? A opção pelo controle público, em geral, se dá pela união destes dois principais motivos:

1) Se o serviço traga benefícios à sociedade, mas a iniciativa privada julga o negócio arriscado;
2) Se existem falhas de mercado, como formações de monopólios.

No “Quem Somos” do site dos Correios, a primeira condição já é exposta logo no segundo parágrafo:

A empresa realiza importante função de integração e de inclusão social, papel indispensável para o desenvolvimento nacional.

A “integração e inclusão social” podem ser aprimoradas por um serviço postal eficiente, que permita a comunicação entre os brasileiros. O estado precisa administrar o negócio para esse objetivo ser alcançado?

Há quem diga que, para atingir todos os cidadãos, são necessárias agências postais em cidades pequenas. E que iniciativa privada não teria o interesse de atuar nessas praças. Daí a necessidade hipotética de o estado atuar.

O que nos mostra a literatura econômica? Que, se há problemas na provisão do setor privado, a melhor solução é regular esse mercado, e não estatizar.

O estado, sim, precisa ser institucionalmente capaz de prover um aparato regulatório eficiente. Mas não é imprescindível que ele mesmo saiba entregar cartas.

Há algumas décadas, essa argumentação parecia fazer mais sentido. Mas os recentes ganhos em escala e tecnologia na área de Comunicação reduzem a necessidade de o governo gastar dinheiro nessa área. Aliás, já existe e-mail, celular, WhatsApp… Que manda carta hoje em dia? Quando recebemos a visita do carteiro, em boa parte das vezes, é para receber algum boleto, não lembranças de algum amigo ou parente. (Boleto, na verdade, também chega por e-mail.)

Como os Correios têm sido administrados?
Muitas vezes, empresas controladas pelo governo têm pouco incentivos para a eficiência e inovação. Isso pode ser atribuído à influência da política. Para altos cargos, pensa-se menos na competência dos funcionários e mais em padrinhos ou grupos de interesse.

A contratação excessiva de empregados por motivações políticas é nociva. Os ganhos de uma empresa privada são direcionados aos seus donos e o lucro é um incentivo óbvio. Se a empresa é pública, os ganhos são do estado, essa figura quase abstrata. Na verdade, os ganhos e perdas são divididos por toda a população, o que reduz os incentivos.
As motivações para um gestor dos Correios ou o ministro das Comunicações ter bons resultados, desse ponto de vista, são menores do que se eles fossem os donos do negócio.

Os Correios estão bem de grana?
Os resultados financeiros da empresa são atrelados ao setor público como um todo. Por isso, apesar de resultados positivos na ordem das centenas de milhões ao longo dos últimos 10 anos, os dois recentes anos foram extremamente negativos. Registraram-se prejuízos na ordem de R$ 2 bilhões por ano.

A quantia anual equivale a mais de 5% do Orçamento do programa Bolsa Família. Com o valor somado nesses dois anos, seria possível comprar 78.000 novas viaturas policiais; ou 48.500 novas ambulâncias. Há um claro custo de oportunidade aí.

Por que os Correios são um monopólio?
Além de ser uma empresa pública, os Correios gozam do monopólio dos serviços postais. Esse monopólio existe desde 1663. Seria desonesto, no entanto, não apontar que esse monopólio é apenas relacionado a atividades postais, produtos como cartas pessoais e comerciais, cartões-postais e correspondências agrupadas (malotes). Mas você acha pouco? Essa fatia representa nada menos que 54,3% da receita dos Correios, aponta o site da empresa.

O argumento clássico para um monopólio estatal: certos ramos da indústria são caracterizados por monopólios naturais, onde o número eficiente de firmas no mercado é um. Isso acontece normalmente pela presença de altos custos fixos. A ideia é que caso não fosse um monopólio, o serviço seria praticamente inviável. Esse pensamento está explicitado, novamente, no site dos Correios:

Na composição do seu faturamento, aufere 54,3% da receita com os serviços exclusivos (carta, telegrama e correspondência agrupada), de modo que a reserva de mercado desses três serviços é fator essencial para a sobrevivência e para a garantia da universalização dos serviços postais.

Será? Esse argumento, por exemplo, não explica como existem inúmeros competidores privados capazes de oferecer o mesmo serviço nos Estados Unidos.

Os Correios inclusive foram, recentemente, acusados “litigância predatória” ao usar do monopólio postal para favorecer a empresa em outros ramos nos quais ela não possui monopólios. O caso foi parar no Conselho Administrativo de Defesa Econômica, o Cade, e a Superintendência recomendou a condenação.

Vale lembrar: os Correios, por serem empresas públicas e monopólios, não pagam impostos, além de terem uma série de vantagens competitivas como, por exemplo, serem isentos do rodízio em São Paulo. Isso prejudica o consumidor, que sai perdendo com a concentração de mercado.

Pela época, é difícil chamar a forma de administração exatamente “privada”, devido a presença forte do Estado e a necessidade de uma licença oficial para execução da atividade. Contudo, empresas como as Companhias das Índias, que surgiram no séc. 17, são classificadas como privadas. (Por João Pugliese, UOL)

COMENTÁRIOS

Nome

33 CONREP,3,AACB,1,AADC,9,Abono Pecuniário,3,Abrapp,1,ACT 2016/2017,15,ACT 2018/2019,112,ADCAP,38,Afastamentos,1,Agência,22,AGU,2,ALMG,3,Alunos,1,ANATECT,4,ANATEL,1,Animais,1,Anistia,2,ANS,3,Aplicativo,1,Aposentados,4,APP,1,Apreensão,1,ARACT-SP,2,Arrombamento,2,Assaltos,26,Assédio Moral,1,Assistência Médica,1,ATAs,1,Atendente Comercial,2,Atendimento CorreiosSaúde II,1,Atendimento Digital,1,Atestado,1,Atraso,1,Atrasos,4,Audiência,1,Auxílio Doença,1,Auxílio-creche,1,Azul,7,Banco Postal,23,BB,1,Benefícios,9,Black Friday,2,BNY Mellon,5,Cachorro,1,CADE,7,Cães,1,Cajamar,1,Calote,2,Caminhão,1,Caminhões,1,Canal Descomplica,1,Capitalizar,1,Carlos Fortner,1,Cartas,2,Carteira de Trabalho,1,Carteiro,9,Carteiro Poeta,1,Carteiros,1,Casamento,1,CAT,2,CDD Polo,1,CGPAR,5,CGU,2,Chip Amarelinho,1,Clipping,1495,Concurso,2,Condições de Trabalho,4,Conselho de Administração,2,Contas Públicas,1,Contra a Privatização,34,Contrabando,1,Contribuição Extraordinária,2,Copa do Mundo 2018,1,Correios,313,Correios Celular,10,Correios Saúde,1,Correios Saúde II,10,Corte de Energia,1,Cronograma de Empréstimos,1,CSP Conlutas,1,CTB,1,CUT,1,CVM,3,Data Comemorativa,2,DDA,9,Déficit,1,Demissão Justa Causa,1,Demissão Motivada,12,Despacho Postal,21,Destaque,917,Desvio,1,Diário Oficial,1,Diferencial de Mercado,1,Digital,6,Direitos dos Empregados,22,DNI,2,e-commerce,1,Empréstimos,1,ENEM 2018,3,Estadão Conteúdo,1,Estado de Greve,3,Estatais,18,Exames Periódicos,1,Exclusiva,78,Extinção,1,Extravio,1,FAACO,3,Falecimento,1,Fechamento,16,FEDERAÇÕES,446,FEDEX,1,FENTECT,305,Férias,1,FINDECT,195,Fiscalização,1,Frota,1,Funções,1,Fundos de Pensão,40,G1,1,Geral,452,GOL,1,Gratificação de Função,1,Greenfield,10,Greve,25,Indicação,1,Indicação Política,1,Informa Postalis,5,Informe Jurídico,231,Insegurança,3,INSS,1,Insumos,1,INTERSINDICAL,1,Intervenção,2,Joint Venture,4,Jovem Aprendiz,3,Justa Causa,1,Kassab,1,Lançamento,1,LATAM,3,Lei das Estatais,1,Licenças,2,Licitação,2,Limpeza,1,Livre Escolha,1,Logística,2,Lucro,2,Luta Unificada,34,Malware,1,Manuais,2,Marcos César,15,Mercado Livre,1,Metas,1,Ministério da Fazenda,1,Ministério do Planejamento,4,Ministro,1,Motociclistas,5,MPF,16,MPT,1,MTE,2,multiatendimento financeiro,1,OAI,1,OJ247,17,Operação Rizoma,4,Opinião Ecetista,1,OTT,4,Outubro Rosa,1,Papai Noel dos Correios 2018,8,Paralização,2,Parceria,3,Parecer,1,Paternidade,1,Patrocínio,6,Paulo Guedes,2,PBM,1,PCCS1995,2,PDV,2,Plano BD,2,Plano de Saúde,4,Plantão Negociação 2018/2019,19,Policia Federal,2,Portaria,2,Postal Saúde,113,Postalis,375,Postalis Digital,1,PostalPrev,3,Praect,2,Premiação,1,Presidente,6,Prestador,1,Prestador Suspenso,1,Previc,6,Primeira Hora,176,Privatização,13,Processo,22,Professora,1,Protesto,1,Qualidade,1,Reajuste,1,Reajuste de Tarifas,1,Recadastramento,2,Receita Federal,5,Reclamações,4,Reestruturação,1,Refém,2,Refis Postal,1,Reintegração,1,Renegociação,1,Rentabilidade,1,Restruturação,4,Rombo,1,Roubo,3,RTSA,1,Salários,1,Saúde Bucal,1,Saúde da Mulher,5,Seguro de Vida,2,Selos,6,Série,7,Série Correios Saúde II,10,Serviços Postais,2,SEST,1,Sincort-PA,9,Sincotelba,21,Sindecteb,31,Sindicato,777,Sintcom-PR,54,Sintect-AC,17,Sintect-AL,94,Sintect-AM,5,Sintect-AP,12,Sintect-CAS,11,Sintect-CE,12,Sintect-DF,51,Sintect-ES,47,Sintect-GO,31,Sintect-JFA,2,Sintect-MA,39,Sintect-MG,20,Sintect-MS,35,Sintect-MT,24,Sintect-PB,30,Sintect-PE,28,Sintect-PI,45,Sintect-RJ,144,Sintect-RN,15,Sintect-RO,6,Sintect-RPO,15,Sintect-RR,1,Sintect-RS,54,Sintect-SC,27,Sintect-SE,7,Sintect-SJO,2,Sintect-SMA,5,Sintect-SP,136,Sintect-STS,11,Sintect-TO,13,Sintect-URA,9,Sintect-VP,11,STF,17,Taxa Emergencial,1,Taxa Extra,4,Taxa Homologação Importados,1,TCU,2,Tecnologia,1,Terceirização,8,Termo Aditivo,1,Tesouro Nacional,1,Top of Mind,2,Transferência,1,TRF,2,TRT,26,TRT10,1,TRT15,2,TRT21,2,TRT23,1,TRT9,1,TSE,3,TST,22,União,2,UPU,2,USPOST,1,Vale Transporte,3,Vice-presidente,2,Vídeo,1010,Vírus,1,XIIICONTECT,1,
ltr
item
Correios do Brasil - Funcionários: Privatização dos Correios: qual a lógica econômica?
Privatização dos Correios: qual a lógica econômica?
Muitos de nós já tivemos problemas com os Correios: alguma carta extraviada, uma encomenda que não chegou no dia prometido, atrasos no pagamento de contas por causa de greves… Essas demonstrações de ineficiência dão munição para quem defende a privatização irrestrita de todo e qualquer serviço estatal. Mas, além dessa visão radical e polarizada, qual o sentido econômico de passar os Correios para a iniciativa privada?
https://2.bp.blogspot.com/-Gruis0xbGf0/WXinDedIOGI/AAAAAAAAIB4/zVTWDKrnqnMcNfG5OEkHOg2tsM9g4ClsQCLcBGAs/s320/Correios.jpg
https://2.bp.blogspot.com/-Gruis0xbGf0/WXinDedIOGI/AAAAAAAAIB4/zVTWDKrnqnMcNfG5OEkHOg2tsM9g4ClsQCLcBGAs/s72-c/Correios.jpg
Correios do Brasil - Funcionários
http://correiosdobrasilfuncionarios.blogspot.com/2017/07/privatizacao-dos-correios-qual-logica.html
http://correiosdobrasilfuncionarios.blogspot.com/
http://correiosdobrasilfuncionarios.blogspot.com/
http://correiosdobrasilfuncionarios.blogspot.com/2017/07/privatizacao-dos-correios-qual-logica.html
true
4537349496477451586
UTF-8
Carregar todas as postagens Não encontrou nenhuma mensagem VER TUDO Leia mais Resposta Cancelar resposta Apagar Por Início PÁGINAS POSTAGENS Ver Tudo RECOMENDADOS PARA VOCÊ NOTÍCIAS SOBRE ARQUIVO BUSCA TODAS POSTAGENS Não foram encontrados resultados com a sua palavra Voltar ao inicio Domingo Segunda Terça Quarta Quinta Sexta Sábado Dom Seg Ter Qua Qui Sex Sab Janeiro Fevereiro Março Abril Maio Junho Julho Agosto Setembro Outubro Novembro Dezembro Jan Fev Mar Abr Maio Jun Jul Ago Set Out Nov Dez Agora mesmo 1 minuto atrás $$1$$ minutes ago 1 houra atrás $$1$$ hours ago Ontem $$1$$ days ago $$1$$ weeks ago Mais de 5 semanas atrás Seguidores Seguir ESTE CONTEÚDO É PREMIUM Compartilhe para desbloquear Copiar todo o código Selecionar todo o código Todos os códigos foram copiados para a área de transferência Não é possível copiar os códigos / textos, por favor pressione [CTRL] + [C] (ou CMD + C com Mac) para copiar